quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Confiante e Decidida

Tenho 38 anos, sou muito confiante e muito decidida. Não querendo me gabar, mas concluí ano passado minha MBA. Voltei a estudar depois da separação, é assim que se faz, né? Casamento é um atraso para a carreira profissional, o Roberto continua sendo meu amigo, sem ressentimentos, é assim que se faz né?
Nesses quatro anos arrumei alguns poucos namorados, falando em números foram só três, nenhum vingou. Muita loucura jovem, não me adapto à fugacidade dos relacionamentos atuais: baladas, som alto, descompromisso, não é comigo. Bem, na verdade tenho 43 anos, casei virgem e talvez não seja tão confiante assim, mas me considero atraente, ninguém nunca acerta minha idade e os homens do escritório não tiram os olhos do meu decote.
Na minha caminhada matinal, caminho no espaço verde da prefeitura de Sorocaba - mulheres como eu tem que caminhar, noto um rapaz que aparenta ter uns 34 anos, é moreno, cabelos castanhos e curtos, não muito alto e, o que mais me chama atenção, tem uma bela barba cerrada. Na minha opinião todos os homens deveriam ter barba, homens de cara limpa perdem aquele aspecto viril, masculino, primitivo. Sabe, tenho aversão a esses homens de hoje que se depilam, tiram sobrancelha, usam cremes, fazem massagens regularmente etc.,são todos uns brochas. Vai chegar o dia em que inverterão os papéis e num encontro dirão às parceiras: "quero ser só seu, me pega de jeito, me protege, quero ficar de quatro."
Desculpe, acabo perdendo a compostura quando fico nervosa ou tensa; e no momento estou nervosa, tensa e ansiosa, pois o moreno de barba está empurrando uma garotinha na balança, sei que é sua filha, garota fofinha. Sei também que esse cara não é casado, intuição feminina, maturidade e obervação. Homens casados tem uma postura menos ereta, ombros menos alinhados, gestos mais serenos, roupas mais comportadas e carregam em si uma resignação para com as eventualidades da vida que esse varão não tem. Meu Deus! Olha meu vocabulário, eu disse "varão", estou realmente nervosa, tensa e ansiosa. O moço deve estar passando as férias com a garotinha, ela tem seus 4 anos e é meio gordinha, deve ter puxado a mãe, e ele deve estar livre como eu. Bom partido, estou interessada.
É claro que meu rosto corou, ele olhou pra mim e sorriu. Ridículo pareço uma adolescente. Aproximo, fingindo me alongar, é assim que se faz, né? Espero que ele não puxe assunto chegando à conclusão filosófica que o Sol está quente, espero mais dele.
Olha novamente, dessa vez um quase cumprimento. Alongo a coluna. Ele baixa os olhos e volta a balançar a pequena. Que fofo, levemente tímido, sorriso com uma certa pureza - deve ser romântico - semblante humano e uma singular barba. Olha, nem me importo mais com o que ele possa dizer; diga que está calor, que o tempo está imprevisível, que a situação não tá fácil pra ninguém; com uma barba dessas pode dizer qualquer besteira, pode até ser mudo.
Ele me olha novamente como quem pensou em algo original para dizer, chegou a alguma conclusão, resposta certeira. Paro de alongar, ajeito o decote, ele deve ter gostado, e o olho como quem diz "pode falar", é assim que se faz, né?
A senhora também gosta de criança? Tô cuidando da minha sobrinha, tô de férias da facu, ela não é linda? A minha namorada que quer ter uma menininha...
Cala a boca, como você é brocha, achei que fosse homem seu...seu... Cuidado para a baleiazinha não quebrar a balança viu.
Minha vontade era ter respondido isso para o moço de barba, mas apenas sorri e continuei caminhando, sempre caminhando. Queria ser uma mulher decidida. Se o cafajeste do Roberto não tivesse me trocado por uma sirigaita com a metade da minha idade talvez eu fosse feliz. Como é difícil arrumar uma barba que preste. Sempre caminhando, é assim que se faz, né?

6 comentários:

  1. ha ha, adooooooooooorei Victor! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Valeu linda, sempre que puder...
    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!!!
    É assim mesmo que acontece muitas vezes...
    Fantastico, parabéns...
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado Rose, é assim que acontece né...rs.
    Bjs, até...

    ResponderExcluir
  5. Meu paradoxo, muito prazer...

    Sorrisos e lágrimas, algumas vezes ao mesmo tempo.
    Superações e mágoas andaram de mãos dadas em sua maioria.
    Desafios e surpresas nem sempre superados e tão agradáveis assim.
    Infinitas dúvidas e certezas, uma perfeita e delicada simbiose.
    Um pedido: que os melhores sentimentos simplesmente permaneçam onde estão.

    Simplesmente Outono.
    http://www.simplesmenteoutono.blogger.com.br

    ResponderExcluir
  6. adorei..vc é demais ,muito inteligente ..está de parabéns

    ResponderExcluir