sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Incrível Capacidade

Encontrava-a diariamente num desses milhares de ônibus que enfrentamos corajosamente na ida à labuta. Não tinha paixão pela menina, nem gostava a ponto de escrever algo sobre ela, sequer lembrava da figura de seu rosto ao longo do dia. Nenhum romantismo, nenhuma mistificação. Porém, quando adentrava naquele circular, sabia, quase de antemão, da existência da garota. Não trocávamos olhares, jamais houve um flerte, e eu nem sofria por isso. Sem nenhum esforço, gostava sobretudo do cabelo dela.
Um ano se passou, sendo esse encontro matinal das partes menos importante do atribulado dia, pequena fração corriqueira desprovida de importância.
Nossas vidas não se esbarravam, a não ser pelo irrelevante encontro. Nem bom nem ruim, apenas fato.
Como tudo passa, circunstancialmente passei para outro horário, e estando em outras rotinas, nunca mais vi a garota dos cabelos sedosos e nem dei por isso, continuei nos ônibus, distraindo-me com o trânsito.
Acontece que hoje fui numa livraria e, curiosamente, quem veio me atender foi a garota do ônibus, tinha voz encorpada de quem sabe o que quer, somada a uma paciência e ternura que garantia seu emprego. Entre consultas de autores e titulos, comentei como que casualmente, sem pretensões, que eu a conhecia de vista, via-a quase diariamente indo trabalhar.
Seu semblante transfigurou-se em interrogação e ela se desculpou dizendo não se lembrar, atribuiu esse fato à sua falta de atenção, justificativa convincente, quase acreditei.
Eu sorri como quem tem chorado e num tom de confissão alheia, tentando soar original, soltei essa:
- Eu tenho essa capacidade incrível de existir sem ser notado.
Ela sorriu profissionalmente, de fato nem percebeu o conteúdo da frase, que eu julguei magnífico - ela não me viu durante todo o ano, jamais perceberia conteúdos de frasistas ridículos. Apressei-me na despedida. Vou levar esse, afinal é só isso que interessa. Aonde é o caixa?
De resto, nada interessante aconteceu que mereça ser comentado, mas a frase dita, foi o momento auge, gostei tanto dela, da sua beleza e melancolia, que fui consolado pela ideia.
Tenho uma capacidade incrível de existir sem ser notado...

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. A cada dia qe passo me surpreendo mais com seus textos.
    muito legais Victor. Parabéns =)
    Letícia Rosendo

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei com o contexto. Achei muito bacana, parabéns, ótimo texto.
    Milene

    ResponderExcluir
  4. Nossa acho que me vi nesse trajeto rs.Tanta coisa passa pela minha cabeça quando estou dentro do ônibus...
    Adorei o post!=)

    ResponderExcluir
  5. "existir sem ser notado" , essa frase pode ser aplicada em varios contextos, a classe baixa por exemplo.
    muito bom

    ResponderExcluir