quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Dez anos depois

Sabe aquelas garotas lindas do colégio? Aquelas que antes dos 18 anos já são poderosas e superiores, donas de si. Enquanto nós, garotos, ainda atravessamos uma transição da puberdade, mudança de voz, pêlos surgindo e outras coisas mais. Então, essas meninas quase sempre também são muito malvadas com tipos comuns feito nós - maioria dos casos. Elas gostam de se aproveitar na hora de um trabalho, de um favor, chegam até a sorrir e nos enganam facilmente. Mas quando o assunto são beijos e carinhos procuram aqueles caras que seriam capitães de times se estivéssemos nos EUA.
Mas agora, passado mais de uma década da época do colégio, que podemos encontrá-las casualmente por aí - e que coisa ótima é encontrá-las por aí - a coisa primeira que surge é constatar se ainda estão belas. Observado esse detalhe muito relevante, surgindo uma oportunidade de conversa e sempre surge, pois elas sempre estão mais humildes, talvez por maturidade, resta a curiosidade de saber o que estão fazendo da vida, casamento, trabalho....etc.
Mas o deleite mesmo, é encontrar a garota que fora a mais gata da escola pesando uns 40 quilo a mais, é um prazer indizível, uma éspecie de consolo e vingança. Saber que ela está mal casada, mal amada e cheia de filhos histéricos. Acho que todos garotos já sentiram isso e sabem do que estou falando.
Porém ontem aconteceu diferente. Descendo de um ônibus no terminal, deparei-me com uma morena estonteante sentanda num dos bancos, aguardando o ônibus. Ela estava séria, olhar fixo e profundo em algum ponto, que eu logo imaginei serem meus olhos. Mas não podia ser, era muito bela para olhar prum comum feito eu. Porém ainda sim continuei olhando e ela parecia olhar também, quanta ingenuidade minha. Foi aí que ela sorriu me cumprimentando e eu percebi: Tati.
Tati foi das gatas do colégio, porém sempre muito amável e simpática, não era malvada. Só não me dava bola, e isso nada mais era que bom senso puro.
Acontece que dez anos se passaram e ela continua linda, não pude sentir o prazer mórbido de vê-la feia. Tati está mais bela do que nunca e eu fiquei com sua imagem na cabeça.
Depois do cumprimento, eu fiquei do lado de fora do terminal, observando-a com discrição. Realmente linda. Então o ônibus dela chegou e eu a perdi de minha vista...eu a perdi de minha vida. Que tolice a minha.

2 comentários:

  1. caramba mto legal
    parabéns... falar o q
    nem tem o q dizer
    ótimo post
    seu blog tmbm é mto bom
    bem montado e tal
    parabéns novamente
    <>
    visite-nos e comente tmbm
    gostando siga e avise que retribuiremos
    se seguir deixe o aviso no comentário
    deixando o seu link para retribuirmos
    <>
    grato
    <>
    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. A questão é: pessoas “feias” tendem a ser mais estudiosas, consequentemente, irão ter uma renda mensal acima da média, e isso resulta em investimento (no físico também); já os “bonitos” tendem ao comodismo, mas como físico não é eterno (principalmente sem manutenção)... dá no que dá.

    Felizmente não acontece em 100% dos casos.

    ResponderExcluir